Entendendo as principais camadas do modelo OSI de forma simples e rápida

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

O entendimento sobre cada camada do modelo OSI é o básico que todo profissional que trabalha com administração de redes deve conhecer. O assunto pode parecer muito teórico, porém é muito importante, estando presente em muitas certificações, assim como no dia a dia do profissional de TI. Através desse artigo entenderemos o funcionamento de cada camada de forma simples e rápida.

O artigo tem como referência o livro “Kit de Treinamento MCTS – Exame 70-642 – Configuração do Windows Server 2008”.

Como ilustrado na imagem 1, o modelo OSI é composto por 7 camadas:

osi2

Imagem 01 – Camadas do modelo OSI

Camada 7 – Aplicação

Vamos começar pela camada 7 ou camada de aplicação. Nesta camada, os serviços são padronizados e oferecidos para algum usuário ou aplicação. Um exemplo seria um serviço de e-mail composto de protocolos como POP3, SMTP, IMAP4. Além disso, temos como exemplos, protocolos nativos do TCP/IP tais como HTTP, Telnet, FTP, TFTP, SNMP, DNS e NNTP.

Camada 4 – Transporte

A camada de transporte ou camada 4, define um método de envio e de recepção de dados. Dentro do conjunto TCP/IP, a camada é composta de dois protocolos, que são o TCP e UDP.

TCP

  • A comunicação TCP é confiável e bidirecional.
  • Os bytes são agrupados em segmentos, numerados e entregues em sequência, para o destino.
  • Cada segmento enviado e recebido é confirmado pelo destinatário.
  • Caso o remetente não receba a confirmação do destinatário, o mesmo enviará o segmento novamente.
  • Diferentes aplicações e programas podem utilizar serviços TCP em um único host.

O protocolo envia os dados à aplicação designada, de acordo com o número da porta TCP. Cada serviço usa uma porta TCP de número associado, identificando a transmissão recebida.

UDP

  • O UDP permite um transporte mais rápido dos datagramas.
  • Diferente do TCP, que entrega de forma confiável, o UDP não faz confirmações, garantias de entrega e verificação de sequência.
  • O UDP é um serviço sem conexão, ou seja, o protocolo faz a entrega pelo melhor esforço possível, sem nenhuma garantia de entrega.
  • Para aplicações ou programas que precisam de um envio confiável, o recomendado é a utilização do protocolo de transporte TCP. Já o UDP pode ser utilizado para entregas rápidas e sem garantias, como por exemplo, um serviço de VOIP (Voz sobre IP).

Camada 3 – Rede

A camada 3 ou camada de rede trata de um esquema de endereçamento global que permite a comunicação com dispositivos em redes remotas. O principal protocolo da camada 3 é o IP (Internet Protocol) e o roteador, o principal equipamento.

O roteador é responsável por ler o endereço destinatário escrito em um pacote e enviar para um caminho de rede apropriado, passando o pacote adiante, até o seu destino. Após o roteador identificar o destino do pacote, ele verifica o endereço, caso esse endereço seja de rede local ou difusão local (Broadcast) o roteador descarta o pacote.

Existem duas versões para o protocolo IP, o IPv4 e o IPv6. O IPv4 é formado com endereços de 32 bits. Devido ao esgotamento de endereços, surgiu o IPv6 que é formado de 128 bits. As duas versões são utilizadas atualmente na internet, porém o IPv6, em alguns casos, depende de um protocolo de encapsulamento. A diferença entre eles será detalhada em outro artigo do Webpovoa.

Camada 2 – Enlace de dados

A camada 2 ou camada de enlace de dados descreve a comunicação padrão realizada em dispositivos localizados em um mesmo segmento de rede. As interfaces de rede utilizam um endereço fixo de hardware (endereços MAC) para se comunicar com interfaces próximas. A camada de enlace de dados também especifica alguns requisitos físicos para sinais, interfaces, cabos, hubs, switches, pontos de acesso, entre outros. Esses equipamentos são responsáveis por fazem a comunicação direta entre dispositivos próximos.

Agora que você conhece as camadas. Conheça um método Para nunca mais esquecer as camadas do modelo OSI e TCP/IP, muito útil para não errar na prova de certificação.

Thiago C. Póvoa

Formado em Gestão da Tecnologia da Informação. Busca, através do blog, colaborar com profissionais da área, compartilhando conhecimento. Iniciou sua carreira em um provedor de internet, especialista em serviços de telecomunicações, onde obteve bastante experiência em Administração de Redes.