Resolvendo o problema de Áreas Particionadas OSPF utilizando o Modelo Hierárquico de Redes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

errosAntes de começar, gostaria de informar que, para melhor entendimento, é necessário que você tenha um conhecimento sobre o funcionamento do protocolo OSPF.

Pensando nisso, eu disponibilizei no blog um Guia Completo, através do qual você Entenderá o protocolo OSPF de uma vez por todas.

Áreas Particionadas é o primeiro erro que deve ser evitado durante a implementação do protocolo OSPF!

Ele é pouco conhecido pelos profissionais de administração de redes, mas muito importante para que você não tenha problemas futuros em sua rede OSPF.

O problema que vamos abordar, fala um pouco do modelo hierárquico de rede que também está disponível no blog um artigo completo sobre o assunto.

O protocolo OSPF e o Modelo Hierárquico de rede

Quando implementamos o OSPF, utilizamos áreas do tipo backbone e stub. Durante a criação dessas áreas é muito importante que você tenha cuidado para não criar Áreas Particionadas.

Para entender melhor, como funcionam as áreas OSPF, vamos relembrar através do Guia Completo sobre OSPF que disponibilizei no blog:

Em redes de grande porte, é necessário um planejamento maior de como serão utilizados os recursos do OSPF, pois a quantidade de processamento necessário para executar o algoritmo do SPF pode deixar o tempo de convergência lento e os roteadores, com falta de memória.

Utilizar o recurso de áreas do OSPF resolvem muitos dos principais problemas.

As áreas configuradas no roteador são divididas em redes, de forma que o mesmo saiba menos informações sobre a topologia das sub-redes da outra área.

Com menos informações, consequentemente, o banco de dados de topologia ficará menor e o roteador consome menos recursos como memória e CPU, levando menos tempo de processamento para executar o algoritmo SPF.

Um roteador dentro de uma área recebe informações dos LSAs somente daquela sub-rede que está vinculada àquela área. Além disso, essas informações são recebidas de forma mais resumidas ou sumarizadas.

Através da divisão de áreas, o protocolo permite uma hierarquização da rede.

O protocolo permite a hierarquização lógica, porém isso depende muito de como está fisicamente a rede.

Se a rede não estiver fisicamente organizada e seguindo um modelo hierárquico, estaremos cometendo o Primeiro Erro!

Para entendermos melhor, vou te mostrar 2 exemplos práticos de problemas que poderão ocorrer na rede e no final te mostrarei a solução.

Vamos nessa?

Observe o seguinte cenário da rede da Empresa X :

Drawing12

Vamos colocar todos os roteadores da rede da Matriz na área backbone, pois nela temos os servidores principais da empresa e os links que conectam as outras filiais.

O restante da rede que são as outras 2 filiais com áreas stub do tipo Filial1 e Filial2.

Agora vamos para o primeiro exemplo de um problema que pode acontecer nessa topologia e criar um área particionada:

wa_import2

Observe que se houver algum problema no enlace entre os dois roteadores da área Filial2, como a indisponibilidade, consequentemente, a área ficará particionada.

Caso ocorra esse problema, a área ficará divida e naquele momento existirão duas áreas com o mesmo Área ID e Nome.

Veja outro exemplo que pode acabar particionando a área OSPF:

wa_import3

Observe nesse exemplo a implementação inadequada de um novo equipamento, dividindo a área OSPF.

A imagem mostra a implementação de um servidor fora da área OSPF Filial2, com duas placas de rede conctando dois roteadores.

Os dois roteadores estão na mesma área, mas não estão diretamente conectados. Com isso, identificamos outro particionamento da área Filial2, fazendo com que fique dividida e com as mesmas informações, ou seja, com duas áreas iguais na rede.

Qual a solução? Aplicar o modelo hierárquico de rede!

Resolvemos o primeiro exemplo com a redundância que o modelo hierárquico oferece. Caso ocorra algum problema de enlace, os roteadores continuarão conectados pela segunda abordagem. Com isso, a área OSPF não ficará dividida e não teremos problemas.

O segundo exemplo é facilmente resolvido também, todos os equipamentos são conectados na camada de acesso, não influenciando o funcionamento da rede.

Observe como ficará a rede OSPF com o modelo hierárquico de rede:

wa_import4

O design de rede hierárquico é tipicamente formado por três camadas: acesso, distribuição e núcleo. Cada camada tem funções específicas, ou seja, elas separam as várias funções existentes em uma rede. O modelo hierárquico tem o design de rede modular, facilitando a escalabilidade e o desempenho.

Te mostrei apenas dois exemplos que podem particionar áreas OSPF, para entendimento de como funciona o problema e como ele pode ser resolvido utilizando o modelo hierárquico de rede.

Implementando as áreas OSPF corretamente, junto com o modelo hierárquico de rede, você evita o particionamento das áreas e futuros problemas.

Caso não tenha entendido muito bem o funcionamento do modelo hierárquico leia este artigo.

Clique aqui e veja o segundo erro que deve ser evitado durante a implementação do procolo OSPF.

Não deixe de enviar suas dúvidas nos comentários abaixo. Terei o prazer em responder e ajudar.

Thiago C. Póvoa

Formado em Gestão da Tecnologia da Informação. Busca, através do blog, colaborar com profissionais da área, compartilhando conhecimento. Iniciou sua carreira em um provedor de internet, especialista em serviços de telecomunicações, onde obteve bastante experiência em Administração de Redes.